Quando o homem vira anjo

11:09

Mais uma noite de insônia em que sentava a janela para observar o céu enevoado, contando estrelas e lendo suas histórias. Esperando mais uma vez o dia nascer. Preparo um chá e volto para meu mirante. A vida certas vezes parece fazer mais sentido nas suas fases insanas. Como nas vezes em que nos arranca o coração para provar o quanto somos fracos. E ela não devolve, não inteiramente. Os por quês, e se, talvez, assombram dia após dia. Eu que me achava desprovida de sentimento, tão forte, tão sem vida. Ah... 
É por isso que venho te observar, conversar contigo. E te peço tanto. Hoje eu só quero te enxergar na mais brilhante estrela. Deixa eu te admirar, assim como quem não quer nada, querendo tudo. Querendo seu mundo. Eu só queria ter uma chance de lhe dar um ultimo abraço, sussurrando um eu te amo sincero.
Guardo nossas histórias, que pra mim são tesouros enterrados na minha memória. Sem mapa, sem código, sem chaves... 

Eu continuo no mesmo mirante, esperando você voltar. Mas você nunca volta. E acredite, eu esperei por muito tempo.
De vez em quando sinto que posso voltar no tempo. Te chamo. Sinto tua presença. 
Não quero lhe fazer santo, nem ao mais perfeito amigo. Mas tenho toda gratidão por um dia ter te conhecido. 

Lembro que eu não sentia sua falta, não ficávamos mais que um dia sem se ver. Lembro-me de escutar diariamente teus assobios enquanto eu passava, e só por eles eu já sabia que era você. Não esqueço os mil motivos que tinha para brigar contigo, e prometia pra mim mesma toda vez: "Não vou mais falar com ele".  Mas você sempre tinha uma carta na manga, sempre sorrindo, com suas manias e trejeitos que são únicos, fazia uma piadinha comigo e lá vai eu... É, e agora escrevendo eu sorri. 
Porém eu não tenho cartas na manga e muito menos sei blefar. 

Já não escutava mais os assobios, e te procurava sempre nos lugares óbvios. Te buscava nas fotos, te buscava em toda parte, em todo alguém. Procurei teus risos em todo lugar. 

Pus uma carta na manga, mas você não voltou. 


Em memória de Michael Carlos Dias, grande amigo e irmão que se mudou para o céu desde 19/08/2010 e que tenho tamanho amor e saudade. 

Ah, e nossa aliança de amizade? 

Ela continua aqui, durante todos esses 4 anos. 


Como chorão diz: Saudade nunca vai, mas saudade sempre volta. 



You Might Also Like

2 Comentários

  1. Lindo seu texto. Me emocionei, chorei.... que a sorte esteja a nosso favor (:

    ResponderExcluir
  2. Bom saber disso, Tábata!! Que assim seja :)

    Agradecida. bjs

    ResponderExcluir

FALA MEMO!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Escrevo aqui também

Subscribe